top of page

Vintage: principais indicações nas capitais da moda





Por Ana Beatriz Hoffert

Nos últimos 10 anos, o diálogo acerca dos impactos da indústria da moda no meio ambiente gerou uma maior preocupação com a sustentabilidade e o consumo consciente. Paralelamente, as peças de segunda mão e os brechós são uma economia que cresce cada vez mais, criando adeptos em todas as partes do mundo e de todas as classes sociais. De acordo com a plataforma de dados Statista, o mercado de segunda mão movimentou cerca de 33 bilhões de dólares somente em 2020, e a projeção é de que cresça até 500% em cinco anos.

Em meio à pandemia, o desapego se tornou uma grande tendência no mundo da moda. Gucci, Stella McCartney e Levi’s são só alguns nomes que adentraram nesse comércio, firmando parcerias com plataformas de resale como a famosa The RealReal. A compra e venda de usados evita o desperdício e consequentemente reduz impactos ambientais, além de criar uma economia circular, um dos pilares da sustentabilidade.

Porém, muitas pessoas ainda associam os brechós a roupas antigas com valores mais baixos, o que seria mais atrativo apenas para consumidores com menor poder aquisitivo, o que não é verdade. Vintage shops nada mais são do que lojas que compram e vendem roupas usadas ou seminovas, facilitando um consumo mais consciente e menos exacerbado, que muitas vezes valoriza a história por trás da peça e tem uma curadoria interessante. Vender produtos que estão parados em seu armário em brechós é uma boa oportunidade para fazer a peça circular. Além da possibilidade de ter um retorno financeiro a partir de algo que não tem mais utilidade na sua vida, muitos brechós têm seus lucros direcionados para instituições de caridade.

O vintage e o second hand

Dentro do universo das roupas e acessórios usados, temos um conceito valioso que também é muito procurado: as peças vintage. Diferentemente do estilo retrô, que é marcado pela aparência própria de outra época, do tipo “estampa de vó”, mas pode ser apenas uma releitura dos estilos antigos, o vintage tem outra abordagem. Tais peças, possuem muito mais valor e tradição - foram produzidas e usadas em outra época, são exclusivas, mais raras de encontrar e icônicas, de excelente qualidade. Muitas vezes seu valor de mercado é muito maior do que quando foi adquirido, se tornando um investimento, porque em grande maioria a peça não é mais produzida - e só pode entrar nessa classificação quando o artigo possui no mínimo 20 anos de idade, de acordo com a maioria dos compradores.

Um bom exemplo da valorização desses produtos são as bolsas da maison francesa Chanel. A flap bag, bolsa clássica que foi lançada em 1955 tinha seu valor de mercado por volta dos 200 dólares. Em 1990 essa mesma peça podia ser adquirida por uma quantia de 1150 dólares, e hoje em dia os preços começam em 5 mil - considerando uma bolsa nova, direto da loja. Para uma flap bag vintage, produzida há mais de vinte anos, além de raridade, só o céu é o limite em relação ao valor, pois depende da exclusividade do modelo e de sua história.

Essa é a diferença entre uma peça vintage e uma peça ‘second-hand’. A vintage, além de antiga, tem história e todo um conceito por trás, muitas vezes é edição limitada, ou até um item de colecionador. A peça de segunda mão também pode chegar a preços altíssimos, mas na maioria das vezes é uma alternativa para quem quer adquirir produtos de luxo em ótimas condições por um preço mais amigável.

Na primeira edição da Unsatisfashion, revista produzida pela Fashion For Future na qual o tema central é a relação do tempo na moda, temos a curadoria dos melhores vintages de Milão, cidade que tem vínculo especial com o assunto. Além disso, trouxemos mais alguns brechós de luxo recheados de peças vintage que vale a pena conhecer na visita das outras capitais da moda : Paris, Londres e Nova Iorque

Paris

  1. THANX GOD I’M A V.I.P Paris




Esse brechó de luxo com uma curadoria meticulosamente pensada e estranhamente colorida, tem uma história no mesmo nível: sua criadora, Sylvie Chateigner, era conhecida pelas festas Thanx God I’m A Vip, onde ela chamava atenção pelos looks inteiramente vintages. Desde 2008, a boutique possui roupas femininas e masculinas, além de um bar. Chanel, Dior, Saint Laurent e Hèrmes são algumas das marcas que você vai encontrar.

12, rue de Lancry - 75010, Paris

2. La Marelle

Esse brechó localizado na Galerie Vivienne, e um dos mais famosos da cidade, é recheado com peças dos maiores designers franceses e internacionais. Chanel, MiuMiu e Lavin são alguns deles. Além disso, existe uma grande variedade de bolsas e acessórios extremamente luxuosos.

25 Galerie Vivienne 75002, Paris

3. Citizen Concept Store

Essa loja de peças vintage, também possui objetos de segunda mão das mais diversas marcas de luxo. Também foi cenário do filme hollywoodiano Personal Shopper e é um ótimo programa. Você também pode comprar pelo site deles com uma curadoria ainda mais incrível.

8 rue du Roi Doré 75003, Paris

Londres

1. Nordic Poetry




Além de uma curadoria das peças mais eternas e clássicas até as mais modernas dos melhores designers, esse brechó de luxo é o queridinho de Londres. Com seu interior todo rosa, é possível encontrar inspirações de looks e algumas peças no Instagram da loja. Vale a pena a visita nesse hotspot.

141 Bethnal Green Road, Shoreditch, E2 7DG

2. Serotonin Vintage





Fendi, Dior, Balenciaga e Roberto Cavalli são só alguns nomes que recheiam esse brechó. As estampas vintage mais famosas até as mais irreconhecíveis são o que você irá encontrar

Brick Lane, Weavers, London E1 6SA

3. One of A Kind Archive




Quer comprar suas peças no mesmo lugar que as supermodelos Kate Moss, Naomi Campbell e outros ícones da moda? Então não pode deixar de visitar o One of A Kind Archive. É um dos maiores acervos vintage da cidade e apesar de pequeno e até meio escondido, tem peças exclusivas. Quem sabe você não esbarra com uma celebridade no meio do caminho.

259 Portobello Rd, London, W11 1LR


Nova Iorque

1. What Goes Around NYC



Um dos mais famosos brechós do mundo, foi fundado em 1993 e é recheado dos melhores achados de marcas como Hèrmes e Chanel. Se você quiser investir numa bolsa única de tirar o fôlego das maiores casas de luxo, esse é o lugar. Além disso, os donos Gerard Maione e Seth Weisser elevaram os níveis abrindo um e-commerce que entrega as peças internacionalmente.

351 West Broadway, between Broome and Grand St, New York


2. Pilgrim New York

Esse brechó de luxo é a casa de diversas bolsas Chanel e jóias vintages. Com muitas peças dos anos 2000 das melhores marcas, como YSL e Celine, é um lugar imperdível.

70 Orchard Street, between Grand and Broome Streets

3. A Second Chance

Com muitas peças de coleções de alta costura, esse brechó é o sonho de qualquer entusiasta da moda. Vestidos, acessórios e jóias exclusivas e únicas são algumas peças que vão encontrar aqui. Possuem duas unidades em Nova Iorque além de um site.

1111 Lexington Ave e 155 Prince St



284 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Komentar


bottom of page