top of page

Copiar ou não copiar?


Projeto de coleção a partir da Première Vision criado por Luciana Gragnato


Quanto vale a informação de moda? Nos últimos anos, infelizmente, testemunhamos como as notícias falsas se infiltraram nas mídias sérias a ponto de ser difícil distinguir uma da outra apenas pela aparência. O mesmo aconteceu com a informação de moda: a quantidade absurda de tendências, cores, must-haves e hauls ditados por "caçadores de tendências" sem formação adequada cresceu tanto e se tornou tão entranhada na sub-mídia especializada que a informação verdadeira perdeu seu valor.
Mas será que isso é realmente verdade? Isso é o que costumamos ouvir quando nos deparamos com processos de desenvolvimento de produtos baseados em peças prontas, nas vitrines de outras marcas, nos perfis de redes sociais das supostas marcas líderes.

A informação é gratuita, está disponível, basta "pesquisar tendências" nas redes sociais e nas lojas.

E então, quando ouvimos (e vemos) isso, nos perguntamos: Mas quais vitrines e quais perfis as tais marcas líderes observam e copiam? Bem... é difícil responder. A informação de moda estratégica Podemos dizer que a informação de moda estratégica é aquela que você pode usar para dominar uma situação futura. Imagine que estamos no meio de uma guerra e, portanto, precisamos nos defender de um ataque inimigo. Se não tivermos informações básicas, como de onde ele vem, quais meios utilizará e qual o poder de seu ataque, será impossível criar uma estratégia de defesa. Se o ataque acontece de surpresa, teremos que espalhar defesas em muitos lugares e, com isso, perderemos nossa força onde mais importa. Restará apenas reconstruir tudo. E é exatamente por isso que, desde tempos remotos, a espionagem é tão comum nas guerras... assim é como funciona a informação de moda, mas de forma autorizada e organizada, o que é perfeito para criar uma estratégia de posicionamento para nossos negócios, competindo não pelo preço, mas sim pelo valor. Vamos entender como funciona? Informação de moda séria, não é sobre produto, é sobre mudança. Por isso, ela se pauta principalmente em três pilares: consumo, tecnologia e cultura.

Vamos explicar como os três se desenvolvem: A moda e o consumo


A informação de moda é uma cadeia que parte do comportamento de consumo futuro, uma vez que o objetivo das marcas e criadores é vender seus produtos. Informações apuradas por meio de pesquisas sociológicas sérias, que consideram muitos fatores e diferentes grupos sociais, nos apontam direções de comportamento de diferentes contextos e culturas. Isso tudo é transformado em relatórios locais e globais que, na prática, informam o que as pessoas vão desejar e ainda nem sabem. A moda e a tecnologia


Ao mesmo tempo em que você está lendo essa matéria, milhares de pessoas ao redor do mundo estão trabalhando no desenvolvimento tecnológico do mundo, impactando diretamente na moda: soluções digitais, indústria química, geração de energia, criação e materiais, circularidade e processos etc. etc. E isso gera, continuamente, novidades diretas que mudam o jeito que fazemos as roupas. Alguns exemplos: o desenvolvimento de roupas sem costura é razoavelmente novo e só virou um fenômeno no mundo das roupas esportivas porque existe. Mas ele também foi desenvolvido porque quem pratica esporte tem desejado cada vez mais roupas melhores... A moda e a cultura


Num terceiro momento, mas nem por isso o último, nossas expressões culturais mudam todos os dias, sofrendo influências e influenciando. Da música às artes, passando pela religiosidade, políticas e economia, nossa forma de definir que algo é bonito ou feio, masculino ou feminino, ousado ou recatado muda e a gente nem sabe quando mudou, porque são mudanças culturais, ou seja, como produzimos simbolicamente o mundo a nossa volta, cheio de sentidos e significados.



 


Dito tudo isso, fica claro que a vitrine da marca ao lado é insuficiente para trazer essa informação toda que nos ajuda não a criar um vestido ou uma calça, mas sim a planejar um negócio a longo termo. Com informação de qualidade saberemos o que criar, como criar e quando criar e as formas finais – as roupas em si – virão naturalmente como fruto da expertise técnica da moda, do desenho à costura e acabamento. E claro, nos emparelharemos com as marcas mais valiosas não porque são mais famosas, mas porque não precisam competir pelo preço, baratear até ter um produto descartável para garantir a venda. E afinal, quanto custa a informação de moda de qualidade? Ela não pode ser barata, pois como pôde ser visto, é resultado de muito trabalho humano e que necessita importante suporte tecnológico. Mas ela pode estar muito mais acessível quando é compartilhada e participativa, como acontece no Seminário de Tendências Première Vision organizado pela Fashion For Future. Desde 2019 acompanhamos a Première Vision presencialmente e produzimos um conteúdo exclusivo (confira aqui), que conta com uma palestra de duas horas de duração e com um material de consulta de mais de cem páginas de conteúdo.



Nesse encontro, partimos das premissas que dão as direções para a inovação na moda e então partirmos para materiais, cores, texturas, estampas, volumes e silhuetas, detalhando diferentes alternativas e olhares sobre tudo o que está acontecendo. Terminamos nosso evento falando sobre a sustentabilidade e sua evolução em toda a cadeia moda e têxtil.


Para participar do seminário é muito fácil. Clique neste link e faça sua inscrição agora mesmo!


Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page