A marca da cor na moda


O preto e branco Chanel pela ótica de KL


Sendo a cor um dos elementos mais marcantes do estilo e das roupas, ela muitas vezes é um dos atributos principais do estilo de uma marca ou criador. A cor ou o tipo de combinação, podem promover identificação imediata com uma marca de moda e, por extensão, funcionar praticamente como sua identidade visual.


Diferentes exemplos que a história da moda traz, mostra que a associação de uma cor a um criador é, normalmente, uma maneira de expressar o sentido simbólico das roupas, algo além do que uma ideia de cor como tendência de moda. A definição da cor que está sempre presente, independente da coleção, resulta, assim, da própria afirmação de um estilo único e inconfundível.


Uma das primeiras criadoras a deixar clara a sua predileção por uma cor - ou combinação de cores -, como marca de um tempo e de um propósito, foi Chanel. Na década de 1920, além de incorporar o preto às suas coleções inovando para sempre o guarda-roupa feminino, ela reincidiu diversas vezes na combinação preto e branco. Lembrando que na época o preto era uma cor usada apenas durante o luto pelas mulheres e que a combinação do preto e branco era masculina, podemos considerar as composições de Chanel tornaram-se marca absoluta de suas coleções.


O inesquecível red Valentino


Em oposição à sobriedade e discrição do preto e branco, o italiano Valentino Garavani será para sempre lembrado pelo Red Valentino. Assim como o vermelho dos solados de Christian Louboutin, Valentino escolheu a cor do amor, da paixão e da sensualidade para criar uma marca cromática eterna. Presente em todas as suas coleções há várias décadas, Valentino explora os vermelhos intensos e profundos em diferentes materiais, articulando a natureza de cada um deles em diferentes níveis de brilho, transparência, texturas etc. É interessante notar que a cor, nesse caso, se vê potencializada pelas diferenças de cada um dos tecidos.


A cor de escritório, greige, que marcou parte importante da trajetória de outro italiano, o stilista Giorgio Armani, também é um símbolo da década de 1990 além de uma marca do criador. A seleção da cor como símbolo da roupa de escritório, alinha-se ao período, que é marcado pela ascensão dos jovens ao poder nas empresas e, também, de algumas mulheres. A importância da profissão na vida do indivíduo comum tornou-se tão grande que os cinzas e beges tornaram-se presentes, inclusive, nas roupas de festas.


Além de marcas e nomes célebres que marcaram a história da moda com sua aposta cromática, o tipo de combinação preferencial de algumas marcas de moda também tornam-se símbolos de sua essência. A brasileira Farm, por exemplo, aposta na mistura cromática de cores bold para reafirmar o estilo de brasilidade, enquanto a Polo Ralph Laurent mantém seu espírito outdoor vivo usando tonalidades do caqui ao verde musgo como carro-chefe de suas coleções. Essas associações, entre marcas e espectros cromáticos, é um dos principais recursos de solidificação de estilo utilizado pela indústria contemporânea.


Se você quiser saber mais sobre a cor na moda leia nosso post ou adquira o e-book Colour For Fashion preparado exclusivamente para profissionais da moda.







INSCREVA-SE NO SITE

  • Facebook
  • download
  • download (1)
  • Pinterest
  • Instagram

PENÉLOPE BIBLIOTECA DE MODA

CNPJ 24.055.203/0001-43

São Paulo - BR - 05624100

e-mail: hello@fashion-for-future.com

ENTREGA ONLINE DE ACESSO AOS PRODUTOS - LEIA AS POLÍTICAS DE REEMBOLSO E USO AQUI