top of page

Cinco skills pra adquirir em 2022

Atualizado: 20 de jan. de 2022



Você tem um modelo em mente ou gostou muito de algo que viu durante uma pesquisa e agora quer explorar essas possibilidades. Na hora de identificar e descrever os tecidos, o que ocorre? Você se perde e acaba indicando, para os profissionais que vão lidar com a modelagem e a costura, sensações e percepções sobre os tecidos nada técnicas. Cansamos de ver descrições como "tecido fininho", "é um 'paninho' (sic) que não amassa", "o 'pano' é 'brilhoso' (sic)" ... Já viu isso acontecer e isso te incomoda?


Pois é, esse tipo de situação ocorre por duas razões principais, segundo Luz Neira García, que é a professora do curso de Tecnologia Têxtil da Fashion For Future. A primeira, bem mais óbvia, é que desde que deixamos de costurar roupa em casa ou fazê-la com as costureiras, perdemos o contato direto com os tecidos. Com certeza, quem tem mais de 40 ou 50 anos, alguma vez na vida acompanhou sua mãe ou avó para fazer compras de tecidos para um vestido de festa ou mesmo algumas roupas do dia-a-dia. "A cultura têxtil doméstica se perdeu com a roupa pronta", afirma Luz e, indo além dos tecidos, "muita gente não sabe fazer uma barra, trocar um botão ou não conhece o crochê e o tricô manuais."

Assim, muitas vezes, estudantes que chegam às faculdades de moda não têm essa vivência ou aprendizagem natural e então é quando a segunda razão aparece e tem efeitos bem profundos. Um curso de moda superior que poderíamos considerar padrão, não tem mais que 80 horas de aula de disciplinas que tratam de materiais têxteis, conta Luz. Para acentuar a problemática, muitas vezes os docentes nessas disciplinas são mais distantes da moda e mais próximos da engenharia e, por isso, essas matérias acabam parecendo chatas e difíceis. Às vezes ainda, desnecessárias, pois não são valorizadas como deveriam ser. No mercado de trabalho, por outro lado, esse conhecimento não só é importante, como é um diferencial e é essencial. Um profissional de moda, com conhecimento de tecnologia têxtil, aponta Luz, "está em um outro nível". Pode tomar decisões conscientes, orientar, analisar qualidades, durabilidade, performance das roupas, prever processos ... "são tantas coisas que parece incrível que esse conhecimento não seja um dos principais dentro da carreira."


Foi observando essa lacuna que o curso de Tecnologia Têxtil para Profissionais da Moda foi pensado. Ele tem esse conteúdo de base técnica e a demonstração de como tudo isso "se transforma" em roupas que amamos não só usar, mas desenvolver, pois é um privilégio profissional esse conhecimento.




Quem pensa que esse conhecimento serve apenas para "quem cria", se engana duplamente. "Vemos no mercado também, profissionais que trabalham com consultoria de imagem, compras, comunicação de moda, descrição de produtos para e-commerce etc. que se tornariam muito mais eficientes, rápidos e objetivos com um conhecimento que lhes permitisse analisar e criticar os produtos de moda, de aspectos estéticos a funcionais e econômicos."


O que é um conhecimento mínimo têxtil que é obrigatório aos profissionais de moda?


São cinco as competências fundamentais que todo profissional de moda (em qualquer área) deve ter em relação aos tecidos. Sem isso, há uma lacuna de formação muito importante:


1. Entender e prever o caimento dos tecidos

Claro que é impossível saber tudo exatamente, mas ao conhecer ase propriedades físicas dos materiais, com certeza podemos direcionar a criação e o uso. Quer um exemplo?

Se você criar ou comprar uma peça de moda-praia, sabe que deve ter elasticidade. Você imagina com clareza uma necessidade mínima, porém, vai depender do material têxtil propriedades mais precisas, como maior ou menor pressão do tecido.


Quer aproveitar e baixar agora mesmo nosso e-book gratuito que funciona como um guia para o uso dos tecidos?



Para fazer o download gratuito, clique aqui.


2. Nomenclatura dos tecidos


Parece básico, mas não é. Desde a clássica confusão entre padronagem e estamparia, muitos profissionais não conseguem descrever adequadamente os materiais usados nas peças. Para quem trabalha com comunicação de moda, esse conhecimento pode ser um diferencial único.


4. Diferenciar matéria-prima, de produção de processos têxteis


Um profissional de moda deve ser capaz de criar ou ver uma peça e entender os processos de produção têxteis. Ele não precisa saber como faz, mas a lógica da produção deve ser clara. Sem isso, como criar ou como avaliar o valor de uma peça?


5. Refletir sobre os materiais


Hoje em dia, é impossível pensar em trabalhar com moda sem considerar a sustentabilidade. Então, entender os processos têxteis será fundamental para posteriormente, considerar e aplicar práticas cada vez mais sustentáveis no seu trabalho.


6. Criar a partir dos têxteis


Se pensamos que um dos grandes diferenciais da moda contemporânea tem relação com os materiais, não há como não considerar que a grande criação do momento vem a partir deles. Para isso, sem dúvida, é necessário conhecer os processos e as premissas. Então, a tecnologia têxtil torna-se uma ferramenta de criação e um instrumento de análise qualitativa dos produtos de moda





Conheça nosso e-book Tecnologia Têxtil para Profissionais da Moda


Quando você precisa realizar uma consulta sobre tecnologia têxtil, qual é a fonte mais confiável? Pensando na dificuldade de encontrar no Brasil publicações em português sobre têxteis, desenvolvemos esse material imperdível e que é a base para o estudo dos tecidos. São 100 páginas de conteúdo e ele acompanha nosso curso Tecnologia Têxtil para Profissionais da Moda, mas você também pode adquiri-lo separadamente na nossa livraria.







380 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

留言


bottom of page