top of page

Para entender a moda italiana


Desfile da Gucci 2018, uma das marcas mais desejadas do mundo

Sabemos que quando o assunto é aprender sobre a história da moda global, usualmente, Paris é o centro do universo. Não porque acreditemos nisso, mas simplesmente pelo fato de que a importância da Alta Costura para a consolidação de uma cultura de moda é tanta que esse fato histórico acabou tornando-se central para compreender qualquer outro movimento ao redor, incluindo o prêt-à-porter, o fast-fashion, o street style e muito mais.


Mas, como advertem sabiamente os teóricos da moda contemporânea, moda global não é a moda de todos os lugares, mas sim o encontro dessas modas. Isso quer dizer que devemos deixar de pensar tanto sobre detalhes e acontecimento geolocalizados para entender a moda em movimento. Assim, vale mais pensar sobre como nos deixamos tocar pelas invenções e acontecimentos ligados à moda em todo o mundo, entendendo os resultados e transformações que são consequência desses encontros.


Nesse sentido, as correntes que chegam da Itália pelo menos desde os anos 1950, são fundamentais para compreender um momento de transformação ou de virada do jogo. Basicamente, após a Segunda Guerra Mundial, os Estados Unidos estabeleceram uma parceria com a moda italiana que a promoveu, mundialmente, por meio do cinema, das revistas e de inúmeras ações de negócios. A Alta Costura perdeu seu mercado e entrou em cena aquilo que os italianos tinham como proposta: acessibilidade, qualidade e senso de estilo.



Desfile Valentino 2020, sempre pleno de referências à arte e à cultura italiana


Quer conhecer nove importantíssimas influências que nos chegam da Itália?


  1. A roupa como produto do design industrial: qualidade formal da construção e materiais, inovação e ousadia criativa como diferencial competitivo, sólidas referências e conceitos estéticos.

  2. Líderes no campo das ideias: cabeças brilhantes que trazem ideias novas para a cultura de moda, promovendo mudanças importantes. Profissionais de jornalismo, artes, cultura, negócios etc. que fizeram coisas de um jeito diferente de seus antecessores. Franca Sozzani, Krizia e até mesmo Chiara Ferragni estão entre eles.

  3. Ícones: presença de personalidades que representam a moda local e a representam: nomes fortes, de sucesso, que são exemplo e inspiração para gerações futuras, sintetizando os valores do lugar. Armani, Versace e a Anna Dello Russo são alguns exemplos da lista.

  4. Fatos e feitos singulares: acontecimentos ou invenções que sempre ficarão na memória das pessoas, pois mudaram tudo quando o assunto é moda. Exemplos? A mudança no vestuário masculino promovida por Armani ou a invenção do jeans premium por Renzo Rosso (Diesel).

  5. Uma cultura de moda viva: lugares que promovem a cultura de moda e do design, mostrando que a moda é uma coisa viva e dinâmica além de, obviamente, um bom negócio. Na Itália temos muitos espaços assim, mas amos a 10 Corso Como e a Galleria Vittorio Emanuele.

  6. Ações de promoção da moda: livros, revistas, filmes, publicidades etc., que falam da cultura de moda italiana ou são ambientadas na Itália, mostrando que a moda é real e acessível, além de compartilhada pelos italianos. Foram os filmes e revistas que nos apresentaram todos os ícones da moda italiana e, não por acaso, podemos aprender muito sobre moda por esse caminho. Cartas para Julieta ou Férias em Roma são excelentes dicas para entender o lifestyle italiano.

  7. Estudos e exposições: livros e mostras sobre a moda italiana estão entre as principais ações inspiradoras. Elas mostram que a moda é coisa séria e considerada importante. Assim, todos se deixam motivar por ela e, principalmente, aprendem a respeitá-la. Nesse sentido, nada poderia ser mais espetacular do que a exposição do V&A de Londres, The Glamour of Italian Fashion.

  8. Referências artísticas sólidas: não faltam referências da moda italiana ao patrimônio histórico, artístico e cultural da Itália. É uma forma especial de mostrar que a moda é o resultado de um percurso especial de transformação artística e cultural e que a tem como uma manifestação estética contemporânea.

  9. Tecnologia a serviço da moda: entender que a moda é cultura mas que também é produto, engenharia e negócios é fundamental para o sucesso da moda italiana. Assim, são incontáveis as invenções que representam a ousadia italiana, como é o caso das propostas da Fiorucci e da Benetton para a moda jovem.


Quer aprender muito mais sobre a moda italiana?


O nosso curso Os Segredos do Italian Style é pensado para apresentar os conceitos da moda italiana para quem quer ampliar seu repertório ou construir uma carreira internacional. Ele fala sobre o conceito do Made in Italy e sobre a trajetória das principais marcas italianas. Única turma do ano, matricule-se agora.





443 visualizações

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page