top of page

Projeto de moda: sua marca do conceito ao produto

Atualizado: 30 de mar. de 2023




É muito interessante notar as diferenças que existem no design de produtos e no planejamento e desenvolvimento de coleções, quando comparamos mercados maduros e mercados ainda incipientes: uma marca de moda, antes de ter seu "estilo" definido, deve estabelecer uma relação entre produção e consumo que viabilizem o estilo proposto. Assim, na verdade, o estilo resulta das condições existentes de criar e produzir e das formas comerciais adotadas.

Apenas verbalizando esse conceito, pode parecer difícil, então vamos à comparação de duas situações hipotéticas:

Em um primeiro exemplo, haveria uma definição prévia do que eu quero produzir. Imagine roupa para o segmento fitness de luxo. A parte da criação pode até parecer fácil (afinal, é "só desenhar"), mas depois seria necessário encontrar o lugar ideal para vender esses produtos, seria necessário criar condições compatíveis de divulgação e comunicação e, claro, deveríamos investir na busca de fornecedores capazes de entregar o produto com a mesma - ou superior - qualidade dos meus concorrentes nesse segmento e ainda atender a todas as demandas dos clientes. Esse processo, quase não natural, estabelece uma corrida atrás de um resultado que já tem um determinado parâmetro estabelecido.

Mas agora imagine que você ainda não sabe qual estilo ou segmento exato entrará, mas sabe quem é o público e tem acesso a um sistema de produção. Pode até nem saber muito bem o público, ele pode ser estudado a partir daquilo que você sabe que pode entregar. Tudo flui muito naturalmente, pois a criação, o desenvolvimento e a produção, são alinhadas nesse contexto.




Parece mais eficiente, não? Do conceito ao produto de uma marca de moda





Desde que Milão entrou para as quatro capitais da moda, o que entendemos por consolidação de um nome ou de uma marca na moda mudou totalmente. A visão do estilista empreendedor, deixou um legado que une moda com negócios que é vivo até hoje, tanto assim que, não são nada raras as marcas que faliram por incapacidade administrativa.

  • E, ao contrário disso, ser capaz de tornar um negócio de moda viável e eficiente, depende bem mais do alinhamento da criação com a comercialização, do que com o estilo em si ou o potencial criativo da marca. É necessário produzir o produto certo, na hora certa e entregar do jeito certo, no preço certo para a pessoa certa. Só assim um negócio de moda funciona e sobrevive ao tempo. É por isso que é tão importante desenvolver um projeto de moda com coerência interna e externa, isto é, que ele consiga entregar diferentes coleções com o passar do tempo, comunicando toda a essência da marca e fortalecendo sua identidade e que se conecte, continuamente, com os consumidores. Eles mudam de opinião, evoluem, se transformam e podem manter-se fieis às marcas desde que elas o acompanhem nessa jornada. A coerência interna, é composta por pelo menos 5 fatores:



  • Conceito: o conceito de uma marca é um sinal que atravessa todas as suas coleções. Por isso, a sua definição não pode ser "infrutífera", ao contrário, deve ser replicável e ter o potencial de evoluir e se transformar.

  • Referências: obviamente a cada coleção o universo de pesquisa é novo, gerando novas formas, cores, silhuetas e produtos. Contudo, elas não podem ser antagônicas, mas devem permitir um raciocínio alinhado com a marca.

  • Produtos: a definição dos parâmetros técnicos dos produtos, deve ser constante. Quando formamos um público, é importante atendê-lo sempre, pois quem atende todo mundo não agrada ninguém. Imagem: a imagem da coleção, nas fotos, nas vitrines, no instagram etc., deve transmitir a essência da marca e a nova coleção. É uma mistura do novo e do velho, mostrando sempre coisas novas para trazer desejo, mas ressaltando as anteriores para gerar confiança e segurança.

  • Público: o consumidor da marca é parte fundamental da construção da imagem da marca, por isso, ele deve não só ser contemplado como a marca deve ajudá-lo a expressar-se. E claro, para chegar nele, os produtos precisam encontrar uma forma de comercialização que se adapte ao estilo de vida do seu consumidor e entregando valores que sejam perceptíveis por ele. A coerência externa, tem mais a ver com a relação da marca com outras marcas (concorrentes ou não) e o próprio contexto da moda e é formada por, no mínimo, 3 fatores:




  • Tendências: a velocidade com a qual sua marca adota tendências comerciais e em qual profundidade, depende basicamente de seu público. Então, a relação da marca com as "novidades externas", não é obrigatória nem obedece a uma regra.

  • Preço: o preço dos produtos é um posicionamento de mercado e claro, deve responder aos seus custos mas não pode fugir da regra do seu próprio mercado. Entenda o valor percebido de seus produtos em relação a marcas similares e chegue a um ponto de equilíbrio.

  • Modelo de negócio: o tipo de negócio influencia diretamente no sucesso de sua marca de moda. Da venda para amigos aos grandes magazines ou o mundo chamado instagram, é necessário criar coerência com as possibilidades que o mercado oferece. Não adianta nada vender 1000 peças no instagram e entregar em 60 dias....


É possível dar conta de tudo?




A resposta é provavelmente não, mas é importante conhecer todas essas variáveis para poder conceituar e implantar um projeto coerente. E é justamente isso que te ensinamos no curso Desenvolvimento de Projetos de Moda, que abrange como se desenvolve uma linha criativa que contemple todas essas demandas. O curso de Alta Formação para o Desenvolvimento de Projetos de Moda é um programa internacional de desenvolvimento de talentos na moda. Sendo um curso livre, é o único curso em português que oferece conteúdos e metodologias utilizadas nas principais faculdades de moda do mundo. Para participar da próxima edição, clique aqui.

371 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Opmerkingen


bottom of page