top of page

Como nascem as ideias: o processo da criação em moda

Atualizado: 31 de out. de 2022


Um clássico da história da moda: Mondrian inspira Yves Saint Laurent

Os erros são etapa fundamental da criatividade, mas o domínio da técnica nos mostra como vencê-los:


  1. Moodboards não são um apanhado de registros daquilo que você gosta. Este é o principal e mais fatal erro de todos.

  2. Moodboards são orgânicos, e não um painel bonito para você admirar. Então, transforme-o todos os dias.

  3. Moodboards têm duas dimensões: elementos e composição. O jeito que você organiza, reforça o conceito, então, treine muito as técnicas de composição visual. Moodboards são autorais: eles são a sua assinatura, então faça do seu jeito, não imite ninguém nem use fórmulas. Moodboards devem ser a primeira peça da coleção. Então olhe pra ele e veja se ele representa em imagens o conceito de moda que você está criando.


O grande gênio italiano Bruno Munari, tem um livro célebre cujo título é "Das coisas nascem coisas." Ele não poderia estar mais certo, afinal, apesar de muitas vezes ouvirmos vozes singulares dizendo que "suas criações nascem de suas próprias cabeças", nenhum pensamento é ingênuo. São memórias ou projeções que nos permitem partir para a criação do novo, do inusitado, do único.


Não importa qual é a criatura - arte, design de objetos, arquitetura ou design de moda -, o criador sempre enfrenta um processo de criação de três fases, segundo os teóricos da criatividade nos ensinam.



O processo de criação exige uma adaptação contínua do idealizado ao realizado


1. A ideação (o insight), que é o momento que eu penso ou idealizo algo que posso criar

2. A verificação (a análise das possibilidades), que na prática significa entrar em contato com a realidade e avaliar se aquilo que eu estou idealizando é viável ou não

3. A execução, quase sempre com adaptações, que é o momento no qual eu consigo dar uma existência àquilo que eu idealizei (não importa se é uma melodia ou um prato novo, é sempre uma forma correspondente à ideia). Tanto a segunda quanto a terceira fase, como podemos supor, decorrem da primeira: então, se ela não é a mais importante no resultado final, pelo menos é ela que determina a abertura do leque de possibilidades e, como sabemos, quantas mais possibilidades, mais chances do resultado ser legal. E é então que fica a pergunta: como fazer para ter mais ideias?



A sistematização das referências: uma metodologia que sempre dá certo



Londres, anos 1960 e o surgimento da minissaia


No universo da moda, não há a necessidade de, todos os dias, inventar algo que mude o mundo, como a minissaia ou mesmo o biquini. Cada um de nós já estará fazendo a sua parte se contribuir com identidade, originalidade e inovação, que são as mercadorias mais em falta no mercado de moda.


Mas chegamos a um ponto conflitante. Se, como diria Bruno Munari, para ter ideias novas eu parto de ideias existentes, como que posso dizer que essas ideias são novas? Esse é o pulo do gato: criar uma nova narrativa para aquilo que é nossa referência, a partir da combinação de coisas de formas novas e inusitadas, usando o subterfúgio das imagens e seus significados, por meio do jogo da abstração, da representação e do simbolismo. Difícil? Pode ser fácil se você souber como faz...


E como faz? A resposta vem logo abaixo.


Um (ou mais de um) moodboard consistente é a chave do sucesso e um mar de ideias





Se você é estudante ou profissional de moda, é claro que a palavra moodboard é bem familiar para você. Muitos lugares usam a expressão "painel semântico", que é praticamente a mesma coisa, com pequenas diferenças conceituais.


Moodboard, no fim, é uma palavra mais usada dentro do mercado de moda, principalmente porque estamos falando de globalização. Empresas e marcas são onipresentes e, por isso, usam muitos moodboards para criar diferentes coleções para cada mercado consumidor, para se comunicar com seus funcionários e para expressar suas ideias para as equipes de comunicação, marketing, vendas, desenvolvimento de produtos etc. Resumindo, board é a prancha, lousa ou papel e mood o espírito do momento. Assim, um moodboard é uma composição visual digital ou física que expressa esses sentimentos que queremos trazer para nossa coleção.


Para criar um moodboard eficiente, que gere muitas ideias de coleção, partimos de diferentes pesquisas e experiências pessoais: viagens, filmes, detalhes, obras de arte, arquitetura etc. etc. Reunimos as imagens que sintetizam esse mar de ideias soltas não só com fotografias que indicam exatamente o que é a referência, mas coisas por associação: por exemplo, se vamos falar do Sol da Bahia podemos trazer o ouro, ou frutas amarelas, ou a pele bronzeada .... o importante é "criar" já na hora que associamos.


Depois de termos muitas e muitas imagens aleatórias em mãos, juntamos todas elas de forma a criar uma composição visual coerente. É a hora da montagem do moodboard, usando técnicas compositivas que você pode conhecer e aprender. Tudo é uma questão de técnica e treino de habilidades compositivas e do olhar. A execução em si mesma, pode ser uma colagem de revistas ou uma montagem digital. Não é isso que vai definir a qualidade de seu trabalho. Partimos então para a etapa final do moodboard que é a sua interpretação e sintetização: consigo extrair as cores da coleção? Consigo definir silhuetas e formas das roupas? Posso ter ideias de ambientação para fotografias, comunicação da coleção, materiais gráficos e muito mais? Se a resposta for não a qualquer uma dessas perguntas, seu moodboard ainda não está no ponto. Se a resposta for sim a todas elas - e muitas outras que vamos mostrar pra você -, então parabéns! Você já está pronta para dar o start na sua coleção.


MOODBOARDS PARA MODA





A Luciana Gragnato, Designer de Moda e Mestre em Design pela Anhembi Morumbi, é uma profissional de moda com mais de 20 anos de experiência no desenvolvimento de produtos e também na docência no ensino superior. Ilustradora talentosa com mãos mágicas, ela te conduz num curso objetivo e profundo, para você aprender a fazer, sem medo de errar, moodboards incríveis.


Quer saber tudo sobre esse programa? Dê uma olhada no conteúdo.


Vantagens e diferenciais na sua carreira:

  • Você será capaz de atribuir uma imagem única e autoral às suas criações, chegando, finalmente, ao seu estilo

  • Você entenderá a diferença entre os vários tipos de moodboards.

  • Você receberá todos os materiais do curso, para seguir estudando e aprendendo e, também, consultando quando for necessário.

  • Você receberá um certificado internacional, emitido em Milão, que todo mundo já sabe que significa muito conhecimento e praticidade







443 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page