top of page

Seu destino é voar? O passo-a-passo para estudar moda na Europa


Fontana de Trevi, em Roma. Um cartão postal da moda e da cidade.


Antes de começar com as dicas para você se preparar para estudar moda na Europa - na Itália, de preferência :) -, é necessário entender porque a área de moda valoriza tanto o diploma internacional. Só assim você saberá porque tanto esforço vale a pena!


Começando pelo começo: embora se saiba muito bem que a moda não é uma invenção europeia, foi na Europa que os principais parâmetros da construção das culturas de moda ocidentais se estabeleceram. Alguns exemplos: criadores vistos como artistas ou gênios, a criação da profissão de designer, o estabelecimento de uma cadeia de eventos que forma o sistema moda completo, a profissionalização da moda, a invenção do "calendário da moda" entre outros...


Devido a isso é que, quando começamos a falar sobre o mundo contemporâneo globalizado (a partir do século 19), passou a circular no mundo informações de moda que tinham sido produzidas principalmente na França, na Inglaterra e na Itália. A instalação de fábricas, confecções, escolas etc. etc., se baseou, portanto, nesses parâmetros com algumas adaptações. Um processo super normal na história humana, pois aprendemos no contato e na troca com diferentes culturas.


Bom, assim, com o passar do tempo, se desenvolveram muitos pólos de moda, de confecção ou têxteis no mundo e em todos os continentes, hoje em dia, encontramos escolas e eventos de moda, formando sistemas mais ou menos fortes e estabelecidos. Com certeza, não é necessário mais atravessar o oceano para ter uma excelente formação em moda. Mas então, fica a pergunta: por que ir?



Galleria Vittorio Emanuele: o primeiro shopping center do mundo?

Viajar e aprender em outros lugares é muito enriquecedor porque estaremos em contato com outras realidades e, não só aprenderemos coisas diferentes, como também entenderemos bem mais do nosso contexto. Se esse outro lugar puder ser um centro internacional, onde a moda é uma indústria legitimada e valorizada, melhor ainda: os exemplos que você verá ampliarão muito seu repertório de moda. É por essa razão, então, que a experiência internacional é tão valorizada pelo setor.


Como fazer para tornar esse sonho realidade?


Para tirar esse sonho da cabeça e realizá-lo é necessário muito planejamento. Existe um passo-a-passo que deve ser seguido para que tudo dê certo no final e que realmente, todo o investimento econômico e emocional tragam o retorno desejado. Vamos ajudar você para que isso ocorra. 1. Onde e quando A primeira etapa é aquela que definirá qual é o melhor momento: graduação, master ou um curso livre. Obviamente essa é uma escolha que depende da sua fase na vida... se você tiver 17 anos todas as possibilidades estão abertas, se você tiver 50, provavelmente fará outras escolhas. É importante saber que o ensino é tão amplo, tão diversificado e tão interessante que existem opções para adolescentes e opções para profissionais já com 40 anos de experiência profissional... você só deve saber em qual momento você está! A decisão temporal deve ser tomada ao mesmo tempo: um curso breve, de uma semana ou um curso anual ou bem longo, de três anos? Isso impactará na sua vida e, por isso, junto com o nível de ensino, deve ser a decisão número 1. 2. Qual curso ou área?



Aluna da Fashion For Future em nosso curso intensivo de Fashion Skills na Ferrari Fashion School


Uma das características das escolas de moda instaladas nas capitais globais, é que as formações oferecidas são bem segmentadas. Isso ocorre porque uma vez que a profissão é muito legitimada, existem diferentes especialidades. Então, é possível encontrar cursos específicos de modelagem de casacos, por exemplo, ou ainda dedicados aos iniciantes, como os cursos do tipo foundation year: um ano para conhecer tudo o que a moda oferece em termos de mercado.

3. Em qual escola?


Outro diferencial em relação ao que costumamos conhecer, é que por aqui as próprias escolas são especializadas. Então, você pode escolher uma que tem grande direcionamento para o mundo dos negócios da moda e outra para a modelagem industrial. Por isso, não se deixe levar pelas "escolas famosas": a gente está aqui para te apresentar um mundo totalmente novo.


Temos que considerar, também, que é possível encontrar escolas incríveis fora de Milão e até mesmo distantes das cidades grandes italianas ou europeias. Uma vez que os distritos de moda aqui são bem marcados (áreas geográficas que têm força em uma determinada indústria), você poderá encontrar escolas incríveis nesses lugares. A vantagem é que costuma ser bem mais especializado, com muita conexão com a indústria local (o que aumenta as chances de emprego), além de até ser mais econômico para o dia-a-dia da vida.

4. Do que é feita a burocracia?

Tudo escolhido e decidido, é hora de enfrentar a burocracia. Uma vez que a partir de três meses considera-se uma estadia de longa duração, algumas medidas devem ser tomadas. No nosso processo de mentoria explicamos todas elas e te ajudamos muito a superar os obstáculos mais comuns. Vamos elencá-las:


Visto: será necessário para quem não tem passaporte europeu se o desejo é ficar por aqui mais de três meses. Só é possível pedir o visto de estudante depois de ter se matriculado em uma escola local. Para obter o visto: algumas comprovações, além da matrícula, deverão acontecer: prova da existência de recursos financeiros para viver aqui sem trabalhar, prova oficial do conhecimento do idioma no qual o curso será ministrado, comprovante de matrícula, seguro saúde válido na Europa por todo o tempo do curso, passagem de ida e volta, comprovante de residência (reserva do hotel ou airbnb já realizada). Moradia: as escolas, quando admitem os seus estudantes, auxiliam nesse processo. Existe um amplo mercado de aluguel para estudantes e então com os mesmos documentos do visto, é fácil encontrar casa. Certificados, traduções etc.: você necessitará oficializar seus certificados para ser admitida em um curso se ele for um curso mais longo, de um a três anos. Cursos breves não exigem documentos validados e o conhecimento prévio solicitado varia de caso a caso.


5. Mas eu quero uma bolsa de estudos. É possível? Sim, claro, é possível. Bolsas de estudo de 100% são raríssimas, só em casos bem específicos realmente. As demais bolsas, que variam de 15 a 50% em geral, são muito, muito concorridas e você vai competir com estudantes de todo o mundo. O que será considerado na hora da concessão da bolsa será o seu potencial. Ele é comprovado, basicamente, pelo seu portfólio e pela sua carta de motivação. Lembre-se que os portfólios esperados na Europa não tem nada a ver com o portfólio usado para procurar trabalho do tipo "mais comercial", com fichas técnicas etc. Então, se você realmente quer poder concorrer, tem que começar a se preparar com seis meses de antecedência (a partir de setembro, pois as inscrições para bolsas em geral acontecem em fevereiro até abril). Os cursos na Europa têm início em outubro.


6. Organização financeira


Na Europa não existe praticamente nenhuma opção de parcelamento de cursos e é necessário pagar a taxa de secretaria no momento da inscrição e a anualidade, semestralidade ou o valor do curso completo antes de seu início. Isso se faz, na maioria das vezes, por transferência bancária internacional, embora em algumas situações ou escolas se utilize também o cartão de crédito. Apenas como ideia geral, considere que a anuidade dos cursos parte de 8 mil euros. O custo de vida vai depender muito do estilo de cada um e do lugar escolhido. Mas considere que, em ordem, é mais caro viver em Londres do que em Paris e do que em Milão. Saindo das capitais da moda, também o custo de vida e até mesmo o preço das escolas pode baixar.


O que fazemos por você em nossa mentoria? Nós trabalhamos com o intuito de te preparar para uma nova vida que começa antes da sua chegada. Você tem que escolher o curso que mais se adequa ao seu perfil e às suas reais condições de viagem e, com nosso conhecimento e experiência te ajudamos nos momentos de indecisão e de organização inicial da vida na Europa. Outra colaboração fundamental, é a análise de seu currículo e de seu portfólio. O mercado aqui é tão competitivo e preparado, que esse processo é fundamental para conseguir o “nivelamento” com os estudantes locais. É importante preparar-se para a admissão e, por que não, para uma bolsa de estudos. Sem um portfólio e uma carta de motivação convincentes, esse desafio pode ser gigante!

5. Não espere ...

Posts recentes

Ver tudo

Comentarios


bottom of page